Maria Sampaio

O blog de Maria Sampaio

FELIZ 2015!

Estamos findando mais um ano. Superamos desafios e vivemos cada experiência de maneira singular buscando o aprendizado contínuo.

Olhando para o futuro que se aproxima na perspectiva de um novo ano,  com objetivos definidos e sonhos a realizar,  usamos o texto de Helen Keller, transcrito abaixo, para desejar a nossos clientes e parceiros FELIZ 2015

 

EXPERIÊNCIA DE VIDA

A experiência é uma coisa muito interessante. É nos servindo dela que aprendemos grande parte daquilo que sabemos; por ela orientamos, muitas vezes, os nossos passos; com ela evitamos a repetição de dissabores e procuramos aquilo que já sabemos ser bom. A experiência poderia servir para que a nossa vida fosse muito mais previsível e controlável, mais cômoda e segura, livre de problemas. Uma chatice, enfim… Felizmente, a natureza possui aspetos desconcertantes que têm o condão de permitir que, apesar de existir a experiência, a nossa vida seja em cada um dos seus momentos uma aventura louca e sem destino previsível. Um deles é que a experiência que adquirimos numa fase da nossa vida não nos serve de nada quando chegamos à fase seguinte. Apesar da experiência que vamos adquirindo, chegamos, a cada uma das nossas épocas, inexperientes e inseguros como da primeira vez. A vida, na sua magnífica diversidade, vai nos oferecendo constantemente novas situações, para as quais nunca estamos verdadeiramente preparados. Algumas são duras: um fracasso grande, uma doença que veio para ficar, a morte de alguém que nos faz falta… Estas limitações da experiência nos forçam a crescer continuamente; nos mantêm tensos, esforçados. Permitem que tenhamos constantemente objetivos diferentes. Dão colorido à nossa vida. É assim que nos podemos manter de algum modo jovens em qualquer idade. Quem programou este jogo da vida o fez de forma a que ele tivesse sempre interesse.
Subimos de nível, saltamos do material para o espiritual, varia o grau de dificuldade, mudam os adversários e o ambiente – como nos jogos eletrônicos… Não somos poupados a sofrimentos, mas nos é dada a possibilidade de reagir e continuar a avançar. Se temos saudade do que ficou atrás, também nos é permitido sonhar com o que está adiante. Se conservamos o sabor de derrotas que tivemos, também planeamos a vitória que se segue. No jogo da vida, as derrotas deixam marcas, as feridas fazem mesmo doer, muitas vezes não recuperamos aquilo que perdemos. Estamos ancorados à realidade e, por isso, para nos divertirmos, para nos sentirmos como aventureiros no meio de tudo isto, temos necessidade de coragem. E de não calarmos aquilo que dentro de nós nos chama a um sonho, clama por aventura, pede para fazermos com a vida qualquer coisa que seja grande. Poderíamos dar ouvidos ao medíocre que quer se instalar em nós. E evitar, por medo e preguiça, as dificuldades, as complicações, o sonho. Mas “evitar o perigo não é, a longo prazo, tão seguro quanto se expor ao perigo. A vida é uma aventura ousada ou, então, não é nada”

Minha mensagem

 

 

Entrevista ao Jornal A Tarde – Guia de Profissões

Atualmente vivemos muitas incertezas e isto leva os jovens, muitas vezes, a ficarem indecisos quanto a carreira que devem seguir. Por outro lado, há o apelo salarial. Qual a profissão que melhor remunera? A resposta a esta pergunta direciona, na maioria das vezes, a escolha. Em entrevista para o jornal A Tarde, falo deste tema.

WSDE – Workshop sobre Desenvolvimento de Equipes

Dinâmico, Diferente e Vivencial! Aguardamos sua inscrição para este evento.

A importância do método

A palavra método vem do grego methodos que indica meta e de hodos, significando o caminho, a via.  Portanto o método é a maneira que se tem para alcançar um objetivo.

Em minha atuação em consultoria e com meus alunos na faculdade, tenho externado o quanto é importante ter métodos para gerir a organização e para a realização dos estudos, respectivamente.

Pegando a questão da aprendizagem das disciplinas escolares, o aluno precisa ir além do que é dado em sala de aula, é necessário que aprofunde os seus estudos no sentido de ampliar o horizonte de conhecimento e desenvolver as suas competências.  Organizar-se por disciplina a ser estudada, por exemplo, é um método eficaz, visto que haverá dedicação e foco naquilo quer se pretende aprender.

Na gestão organizacional, a sistematização de práticas de gestão por meio da metodologia adequada à realidade existente dará consistência e proporcionará resultados melhores e, conseqüentemente, diferenciação e maior competitividade de acordo com o modelo de negócio.

Aprender Continuamente

Três dias convivendo num ambiente de aprendizagem. Na quinta-feira (26/07), participei do 5º Worksaúde, promovido pelo Sindifiba – Sindicato dos Hospitais Filantrópicos da Bahia, quando pudemos beber do conhecimento de Eduardo Carmello (SP), que tratou do tema mudanças e Kau Mascarenhas (BA), levando-nos à reflexão sobre a comunicação.  Na sexta e hoje (27 e 28/07) participei da 12ª Jornada Internacional de Educação da Bahia, onde fui buscar respostas para algumas questões com as quais tenho me debatido no mundo do ensino, por exemplo: como levar os alunos de cursos de graduação e pós-graduação, estudantes de horário noturno, após uma jornada de trabalho, abrirem espaço para a aprendizagem? Como motivá-los e comprometê-los? Com este propósito, escolhi temas abordando o aprendizado organizacional no âmbito das instituições de ensino; as diversas possibilidades dos recursos tecnológicos para promover a integração professor e alunos no sentido de melhorar a aprendizagem; qualidade na gestão do ensino; “profissão” aluno (tratado no sentido de compreendermos o contexto em que se insere o estudante para buscarmos estratégias pedagógicas agregadoras de valor); neurociência na prática educacional; a atuação do professor para o desenvolvimento cognitivo do aluno. Ouvi Monica Gather Thurler e Phillipe Perrenoud (ambos de Genebra – Suíça), Ariana Cosme e Rui Trindade (Portugal), Betina Von Staa e Telma Pantâno (ambas de SP)

Fiquei muito satisfeita com o que ouvi e pelo fato de saber que estou no caminho certo, buscando formar os meus alunos para a vida pessoal e profissional, resgatando de dentro de cada um o conhecimento que já trazem, fundamentando-o com os princípios científicos e ajudando-os a organizarem e debaterem idéias para que sejam formadores de opinião e influenciadores.

Poderia sintetizar a aprendizagem destes três dias assim: o desenvolvimento da pessoa dependerá de várias experiências, dentre elas: o processo de comunicação de forma interativa, entender que a mudança estará sempre presente e abrir-se para aprender continuamente,  o que inclui revisar velhos conceitos.

CONARH ABRH . 2012

Estarei lá! Excelente oportunidade para atualização profissional, networking e businesses. Acessem: www.abrhnacional.org.br  e conheçam todos os detalhes sobre este evento.

 

Estamos sempre fazendo escolhas….

Fazer escolhas é um processo natural em nossas vidas. Cada uma delas traz perdas e ganhos, é natural. O importante é avaliarmos o conjunto e ponderarmos para sermos assertivos nestas escolhas. Anualmente dedico-me a aprofundar o estudo de um tema. Este ano dedico-me ao tema educação e vejo quantas escolhas equivocadas estamos assistindo por falta de uma base educacional consistente. Para mudar, será necessário repensar a educação no seu conjunto de maneira estratégica com uma visão mais ampla. Que escolhas tem feito?

A importância de Trabalhar em Equipe

Por: Maria Sampaio*

Com frequência ouvimos a expressão “é preciso saber trabalhar em equipe”. Ensinamos isto na escola e na família, todavia as tendências do mundo moderno, especialmente os meios de comunicação e relacionamento, oferecem novas formas para o convívio e interação humana, inserindo o modelo virtual, bastante acentuado com o surgimento das redes sociais. Que impactos esta mudança causa ao desenvolvimento de competências para o trabalho em equipe?  Pensando nesta nova realidade, trago reflexões sobre a importância do trabalho em equipe, buscando chamar à atenção para aspectos que não podem ser abandonados, mesmo com esta nova realidade das relações humanas.

Para uma organização alcançar os seus objetivos, mobiliza os subsistemas administrativo/estrutural, informativo/decisório, econômico/tecnológico e humano/social que estão presentes de forma inter-relacionada. O Sistema Social é o responsável por promover o atendimento às necessidades humanas, dentre elas a motivação e o comprometimento das pessoas, que variam de indivíduo para indivíduo em função de valores, crenças e expectativas, influenciáveis pelo ambiente interno e ambiente externo.   Por outro lado, sabemos que o homem é um ser social que depende de outros seres humanos para viver, para desenvolver o seu aprendizado existencial e para crescer pessoal e profissionalmente. Esta grandeza é que leva à dinâmica do interagir constante nos diferentes estágios da vida, vivendo de forma condizente com cada nível de maturidade. Há a época da impulsividade, do individualismo e chega o momento do conhecimento e da cooperação para depois alcançar a sabedoria e o apreciar do outro ser em toda a sua inteireza.

As equipes tornam-se cada vez mais presentes nas organizações.  Já na década de 20 existiam para solucionar problemas, formadas, normalmente, pelo pessoal de “chão de fábrica” que se reunia voluntariamente, seguindo o comportamento natural do ser humano. Na década de 70, estas equipes evoluíram, iniciando a prática das “equipes autogerenciáveis” ou autônomas, trazendo novos desafios especialmente pelo fato de necessitarem de habilidades para realizarem as tarefas, sem uma supervisão direta.  Enfim, traçarem seus objetivos e buscarem os meios para alcançá-los.  Com o advento dos programas de qualidade, na década de 80 inicia-se um novo formato de união de esforços para solucionar problemas: os Círculos de Controle de Qualidade – CCQs e nesta mesma época as “equipes multifuncionais”, ainda muito presentes nos dias atuais que atuam em níveis estratégicos e operacionais.

Ora, se o homem é um ser social, o sistema social atua de maneira transversal com os demais sistemas nas organizações e estas necessitam do trabalho em equipe para alcançar os seus resultados, é inevitável que as pessoas desenvolvam as competências necessárias para atuarem desta forma, sob pena de ficarem à margem no mercado de trabalho.  Às organizações cabe a criação de um ambiente propício a este tipo de trabalho, utilizando de recursos incentivadores e motivacionais além da capacitação e desenvolvimento, preparando o ser humano para exercer com maestria o trabalho em equipe.[i]


* Maria Sampaio – Consultora Organizacional e instrutora, atuando nas áreas de Gestão Empresarial e Gestão de Pessoas. Professora na Universidade Católica do Salvador – UCSal. Pós graduada em Recursos Humanos e em Gestão Empresarial.

Apresentando o blog

Aos meus clientes, parceiros, amigos, alunos e visitantes,

Confesso-lhes que me assustei, inicialmente, com a idéia de ter um blog, mas convenci que esta é uma maneira prática de relacionamento.
Viram a minha missão? Pois é, este blog tem o objetivo de ajudar-me na sua implementação. Programei colocar aqui conteúdo que agregue valor e proporcione reflexão para o público que acessar este espaço. Você poderá ajudar-me enviando-me sugestões de temas e fazendo perguntas. Aquilo que eu não tiver conhecimento , pesquisarei, farei meu juízo e comentarei, desde que esteja em minha área de formação. Fica então combinado, assim.
Neste ano, procure perguntar-se todos os dias: o que fiz hoje em prol do meu desenvolvimento? Faça balanços diários e aumente o seu crédito dia após dia. No final do ano, veja o saldo acumulado. Vou gostar de saber o resultado.
“Devemos aprender durante toda a vida , sem imaginar que a sabedoria vem com a velhice” – Platão (Filósofo e matemático Viveu na Grécia Antiga).